Buscar
  • Duonísios

Um poema de Alessandro Caviglia


Instante, tarefa irresoluta, dissolução de todo pensamento; o mundo é um segundo que arrasa.

Meu corpo espera seus instantes, seu desdobrar incerto: minhas mãos adormecem o divagar do vento em um sussurro gélido.

Do livro No estrechéis esa mano (Lima: Paracaídas Editores, 2013)


2 visualizações

© 2015 Jeanice Ferreira

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now